• Oração das mães

    Confira a Matéria

  • Francisco em Vigília para enxugar as lágrimas dos que sofrem

    Confira a Matéria

  • Todas as Gerações me Proclamarão Bem-Aventurada

    Confira a Matéria

27 de junho de 2014

Fiéis de Olinda e Recife recebem benção do Papa




Francisco respondeu a Dom Fernando Saburido, que o convidou para visitar o Recife em 2017
com Arquidiocese de Olinda e Recife
O arcebispo metropolitano de Olinda de Recife, Dom Fernando Saburido, recebeu carta do Papa Francisco na qual ele concede Bênção Apostólica ao povo da arquidiocese. A correspondência foi uma resposta ao convite feito por Dom Fernando para que o Papa inclua a arquidiocese no roteiro de visitas ao Brasil em 2017.
A carta do Sumo Pontífice foi enviada no dia 30 de maio. O texto afirma que ainda não foram apresentadas e nem fixadas datas para a vinda ao país, mas não descarta a possibilidade. “Estamos esperançosos em poder receber o Santo Padre no Recife em 2017. Contamos com as orações e torcida de todos para que este sonho realizado e possamos acolher o Papa no nosso Estado”, afirmou o arcebispo.
Na correspondência, Papa Francisco diz que a arquidiocese de Olinda e Recife está “em suas orações, e que lhe concede extensiva aos sacerdotes, religiosos e todos os fiéis dessa amada Igreja Particular uma Bênção Apostólica”. O documento foi enviado pela Secretária de Estado do Vaticano.
Papa Francisco deverá vir ao Brasil em outubro de 2017 para participar das celebrações pelos 300 anos em que a imagem de Nossa Senhora Aparecida foi encontrada por pescadores no Rio Paraíba, no interior de São Paulo.

Fonte : Canção Nova com Arquiodiocese de Recife e Olinda 

Dia 11 de Julho | Dia de São Bento na Comunidade Kairós





No dia 11 de Julho a Igreja celebra São Bento, um monge que revolucionou o mundo e que de certa forma estruturou a vida consagrada a partir da regra que escreveu. Conhecido por inúmeros milagres e por um grande ministério de cura e libertação, São Bento popularizou-se no mundo inteiro, e foi eleito padroeiro da Europa. 

Pois bem, São Bento é também Baluarte da Comunidade Católica Kairós, é um dos santos patronos da obra, e por isso vamos fazer uma noite de Louvor e Oração em honra a sua memória. Como ele nos ensina com sua vida, vamos orar por cura e libertação, e cremos que a graça vai acontecer! 

Vamos ter Procissão, Santa Missa, e muita oração, pois São Bento é o Santo da Oração e do trabalho, tão presentes em nossa comunidade. Esperamos por você!

Vaticano apresenta documento para o Sínodo sobre a Família

Dia do Sagrado Coração de Jesus: Papa fala do amor de Deus



Francisco destacou que para receber o amor de Deus é preciso ter pequenez de coração

Para comunicar o seu afetuoso amor de Pai ao homem, Deus precisa que este se faça pequeno. Esse foi o pensamento proposto pelo Papa Francisco, na Missa celebrada, nesta sexta-feira, 27, na Casa Santa Marta, dia em que a Igreja celebra o Sagrado Coração de Jesus.
O Santo Padre concentrou a homilia no coração de Jesus, destacando que não há sombras no modo como Deus entende o Seu amor para com Suas criaturas. Segundo Francisco, o Senhor dá a graça, a alegria de celebrar, no coração do Seu Filho, as grandes obras do Seu amor. Pode-se dizer que hoje é a festa do amor de Deus em Jesus, do amor d’Ele pelo ser humano.
“Há dois traços do amor. Primeiro: o amor está mais em dar que em receber. Segundo: o amor está mais nas obras que nas palavras. Quando dizemos que está mais ‘em dar que em receber’, é que o amor se comunica e é recebido pelo amado. E quando dizemos que está mais ‘nas obras que nas palavras’, o amor sempre dá vida, faz crescer”.
Para entender o amor de Deus, o Pontífice explicou que é preciso buscar uma dimensão inversamente proporcional à imensidão, ou seja, buscar a pequenez de coração. Ele deu dois exemplos: Moisés, eleito por Deus, porque era o menor de todos os povos; e Jesus, que no Evangelho louva o Pai por ter revelado as coisas divinas aos pequenos.
Logo, observou Francisco, essa relação que Deus busca com o homem é como aquela de um pai para com o filho, que o acaricia. É a ternura de Deus que dá a força. Se o homem se sentir forte, não terá a experiência da carícia do Senhor.
“’Não temas, eu estou contigo, eu te pego pela mão.” São todas palavras do Senhor que nos fazem entender esse misterioso amor que Ele tem para conosco. E quando Jesus fala de si mesmo, diz: ‘Eu sou manso e humilde de coração’. Também Ele, o Filho de Deus, se abaixa para receber o amor do Pai”.
Outro sinal particular do amor de Deus é que Ele está sempre precedendo o homem, espera-o sempre. O Santo Padre concluiu a homilia pedindo a graça de entrar neste modo misterioso, de poder se surpreender e ter paz com este amor que se comunica, dá alegria e leva pelo caminho da vida como se faz com uma criança: pela mão.
“Quando nós chegamos, Ele já está lá. Quando nós O procuramos, Ele nos procurou primeiro. Ele está sempre diante de nós, espera-nos para nos receber no Seu coração, no Seu amor. E essas duas coisas podem nos ajudar a entender esse mistério do amor de Deus conosco. Para exprimir-se, precisa da nossa pequenez, do nosso abaixar-se. E também precisa do nosso estupor quando o procuramos e o encontramos ali, esperando-nos”.   


Fonte : Canção Nova Notícias

25 de junho de 2014

Vídeo: Papa desce do carro para cumprimentar fiéis na estrada



Papa surpreende ao descer do carro para saudar jovem com deficiência durante viagem ao sul da Itália
Durante a visita do Papa Francisco a Cassano, no sul da Itália, neste sábado, 21, o pontífice surpreendeu ao descer do carro para cumprimentar a jovem Roberta, 21 anos, com deficiência desde o nascimento e seus familiares. O gesto inesperado foi registrado em vídeo pela própria família.
 VÍDEO : 

 

Fonte do vídeo: Youtube Ivan Parfenie

Fiéis celebram São João Batista na gruta onde nasce



Ser cristão é pertencer à Igreja e viver nela, diz Papa



Santo Padre explicou que a identidade do cristão é uma pertença à Igreja

A pertença do cristão à Igreja foi o tema da catequese do Papa Francisco, nesta quarta-feira, 25, na Praça São Pedro. O Santo Padre segue com o ciclo de catequeses sobre a Igreja.
O cristão não está isolado, cada um vivendo sua identidade por conta própria, explicou Francisco. “Se o nome é ‘sou cristão’, o sobrenome é ‘pertenço à Igreja’. A nossa identidade é pertença.”
O Santo Padre atentou para o sentimento de gratidão que deve perpassar a vida do cristão, de forma que ele saiba reconhecer o trabalho feito por aqueles que o precederam e o acolheram na Igreja. Isso porque ninguém se torna cristão sozinho, em um laboratório, mas sim fazendo parte de um povo.
“Se nós acreditamos, se sabemos rezar, se conhecemos o Senhor e podemos escutar a sua Palavra, se O sentimos próximo e O reconhecemos nos irmãos, é porque outros, antes de nós, viveram a fé e, depois, a transmitiram a nós”.
O Santo Padre destacou o papel dos pais e de outros familiares na transmissão da fé. No caso de Francisco, ele disse que se lembra sempre de uma freira que lhe ensinou o Catecismo. “Esta é a Igreja: uma grande família, na qual se é acolhido e se aprende a viver como crentes e como discípulos do Senhor Jesus”.
Esse caminho pode ser vivido, segundo Francisco, não somente graças a outras pessoas, mas também junto com outras pessoas. “Na Igreja, não existe o ‘agir por si’, não existem jogadores na função de ‘líbero’. Quantas vezes, o Papa Bento descreveu a Igreja como um ‘nós’ eclesial!”.
O Pontífice concluiu pedindo a Nossa Senhora a graça de jamais cair na tentação de pensar que se pode prescindir dos outros e da Igreja, salvando-se sozinho. “Pelo contrário, não podemos amar a Deus sem amar os irmãos fora da Igreja; não se pode estar em comunhão com Ele sem estar em comunhão com a Igreja, e não podemos ser bons cristãos se não junto com todos aqueles que tentam seguir o Senhor Jesus, como um só povo, um único corpo.”
Devido ao calor e à ameaça de chuva, Francisco saudou os doentes antes do início da audiência, na Sala Paulo VI, rezando com eles uma Ave-Maria.
Na Praça São Pedro, ele falou para mais de 40 mil peregrinos nesta que é a última catequese de junho. Com o tradicional período de repouso, no verão europeu, agora em julho, Francisco retoma as audiências gerais em agosto.

Fonte : Canção Nova Notícias 

Divulgada mensagem para dia de oração pela santificação dos padres



“Tudo na vida e na missão de um sacerdote deve ter a marca da santidade. Sem santidade, estamos sem horizonte, não somos nada, não valemos nada e não fazemos nada de bom

Nesta sexta-feira, 27, data em que a Igreja Católica celebra a Solenidade do Sagrado Coração de Jesus, é celebrado também o Dia de Oração pela Santificação dos Sacerdotes.
Nesta data, a Igreja convida os fiéis a rezarem, de forma especial, pelos seus sacerdotes, para que tenham uma vida íntegra e santa, de profunda intimidade com Jesus.
“Pois somente assim poderemos amar verdadeiramente o rebanho do Senhor que nos foi confiado”, destaca a mensagem do presidente da Comissão Episcopal Pastoral para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada, Dom Pedro Brito Guimarães.
Na mensagem, divulgada nesta terça-feira, 24, o bispo afirma que tudo na vida e na missão de um sacerdote deve ter a marca da santidade e que hoje, mais do que em tempos passados, o padre deve ser o homem de Deus.
Leia a mensagem na íntegra:
Caríssimos irmãos sacerdotes,
Tenho Sede!
Todo ano, a Igreja promove a Jornada Mundial de Oração pela Santificação dos Sacerdotes, por ocasião da festa do Sagrado Coração de Jesus que, neste ano, será no dia 27 de junho. Neste dia, ela convida todo o povo de Deus de nossas comunidades eclesiais, bem como as pessoas de boa vontade, para rezarem pelos seus sacerdotes para que, fiéis aos compromissos assumidos no dia da ordenação presbiteral, tenhamos uma vida íntegra e santa, de íntima e profunda comunhão com Jesus. Pois somente assim poderemos amar verdadeiramente o rebanho do Senhor que nos foi confiado.
A santidade, além de ser um projeto pessoal de vida, deve ser também um projeto pastoral. São João Paulo II, no ano 2000, assim se expressou: “em primeiro lugar, não hesito em dizer que o horizonte para onde deve tender todo o caminho pastoral é a santidade” (NMI 30). E o apóstolo Paulo: “A vontade de Deus é que sejais santos” (1 Ts 4,3). Tudo na vida e na missão de um sacerdote deve ter a marca da santidade. Sem santidade, estamos sem horizonte, não somos nada, não valemos nada e não fazemos nada de bom.
No Cenáculo, durante a Última Ceia, ao instituir a Eucaristia, o mandamento do amor fraterno e o sacerdócio ministerial, Jesus, o Santo e a fonte de toda santidade, revelou aos seus discípulos um dos seus desejos mais profundos: “Permanecei em mim, e eu permanecerei em vós. Como o ramo não pode dar fruto por si mesmo, se não permanece na videira, assim também vós não podereis dar fruto se não permanecerdes em mim. Eu sou a videira, e vós, os ramos” (cf. Jo 15,4-5).
Permanecer em Jesus é a alegria verdadeira de nossa vida. Sem Ele, tudo em nossa vida emudece e perde sentido. Pois, foi Ele mesmo quem disse: “Sem mim, nada podeis fazer” (Jo 15,5). Decorrem desta íntima união com Jesus Cristo a conversão pessoal e pastoral, a solicitude pastoral pelos pobres e sofredores e o ardor missionário. Em outras palavras, a santidade.
Hoje, mais do que em tempos passados, o sacerdote deve ser o homem de Deus. Aquele que não se mantiver firme na fé, alegre na esperança, perseverante na oração e firme nas tribulações (cf. Rm 12,12), terá vida breve e estéril.
Na realidade atual, perdemos muito daqueles papéis sociais de destaque que, em tempo de cristandade, os nossos antepassados tinham. Além do mais, com o advento dos potentes meios de comunicação, as nossas fragilidades e feridas aparecem com maior clareza, exigindo de nós mais coerência de vida e testemunho de santidade.
Precisamos sempre ser pastores identificados com Jesus e com sua Igreja, pobre e para os pobres. Precisamos ser sacerdotes acolhedores, solidários, fraternos com os irmãos, encantados e apaixonados pela missão. Enfim, precisamos de sacerdotes santos. Sem a lógica da santidade, o ministério sacerdotal vale muito pouco e não passa de uma simples função social.
Neste sentido, é mister recordar o que o Papa Bento XVI disse certa vez: “existem algumascondições para que haja uma crescente harmonia com Cristo na vida do sacerdote: o desejo de colaborar com Jesus para propagar o Reino de Deus, a gratuidade no serviço pastoral e a atitude de servir”.
O encontro com Jesus deixa o sacerdote fascinado, encantado e apaixonado por sua pessoa, suas palavras e seus gestos. É como ser atingido pela irradiação de bondade e de amor que emanam d’Ele, a ponto de querer ficar com Ele como os dois discípulos de Emaús. Cada sacerdote deveria diariamente pedir a Jesus: “Fica conosco, pois já é tarde e à noite vem chegando” (Lc 24,29). Quem se encanta por Jesus, entra em sintonia e em amizade íntima com Ele, e tudo passa a ser feito como agrada a Deus. Ser sacerdote não é mérito nosso. É um dom a ser vivido na companhia de Jesus com gratidão e generosidade.
E acrescenta o Papa Bento XVI: “o convite do Senhor para o ministério ordenado não é fruto de mérito especial, mas é um dom a ser acolhido a que se corresponde dedicando-se não apenas a um projeto individual, mas ao de Deus, totalmente generoso e desinteressado. Nunca nos devemos esquecer, como sacerdotes, que a única subida legítima rumo ao ministério do pastor não é aquela do sucesso, mas a da cruz”.
Cai bem aqui o que disse o Papa Francisco: “Conscientes de terem sido escolhidos entre os homens e constituídos em seu favor para esperar nas coisas de Deus, exercitem com alegria e com caridade sincera a obra sacerdotal de Cristo, unicamente com a intenção de agradar a Deus e não a si mesmos. Sejam pastores, não funcionários. Sejam mediadores, não intermediários”.
O coração do sacerdote é um coração sempre aberto para amar, acolher, celebrar e agradecer. Permitam-me, amados de Deus, concluir esta mensagem reportando, mais uma vez, ao que disse recentemente o Papa Francisco sobre a necessidade de amar e santificar a nossa vocação sacerdotal.
Diz ele: “Os sacerdotes, mais do que estudiosos, são pastores. Não podem nunca se esquecer de Cristo, seu primeiro amor, e devem permanecer sempre do seu lado.Como está hoje o meu primeiro amor? Estou enamorado como no primeiro dia? Estou feliz contigo ou te ignoro? São perguntas que temos que fazer com frequência diante de Jesus. Porque Ele pergunta isso todos os dias, como perguntou a Pedro: Simão, filho de João, tu me amas? Continuo enamorado de Jesus como no primeiro dia ou o trabalho e as preocupações me fazem olhar para outras coisas e esquecer um pouco o amor”?
Caríssimos, tenhamos sempre diante dos nossos olhos o exemplo e Jesus, o Bom Pastor, que não veio para ser servido, mas para servir e para procurar a ovelha, a moeda e filho perdidos e salvá-los (cf. Lc 15,4ss).
Prometo, no dia do Sagrado Coração de Jesus, rezar de modo especial por todos vocês, sacerdotes do Senhor, a fim de que a vida e o ministério de vocês sejam vividos na alegria do Evangelho que nos liberta do pecado, da tristeza, do vazio interior e do isolamento. Peço também que todos os cristãos católicos façam momentos de oração, de adoração e súplica, pessoalmente ou reunidos em comunidade, implorando a Deus pela santificação dos nossos sacerdotes, tesouro precioso saído do Coração de Jesus. Que Maria, mãe dos sacerdotes, nos ajude a ter um coração manso e humilde como o Coração do seu Filho.
E todos, em uníssono, num só coração e numa só alma, possamos dizer: Sagrado Coração de Jesus, nós temos confiança em vós! Amém!
Dom Pedro Brito Guimarães
Arcebispo de Palmas
Presidente da Comissão para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada

Fonte : Canção Nova Notícias

Cristã sudanesa é detida no aeroporto após libertação



A jovem e o marido foram detidos no aeroporto do Sudão pelo Serviço Secreto Sudanês

Meriam Yahia Ibrahim Ishag, jovem cristã sudanesa libertada nesta segunda-feira, 23, foi presa novamente no Sudão. A informação foi divulgada, nesta terça-feira, 24, pelo advogado da mulher por meio da presidente da ONG Italians for Darfur, Antonella Napoli.

Meriam e seu marido, Daniel, foram parados no aeroporto de Khartoum pelo Serviço Secreto Sudanês. Por enquanto, a família permanece no Sudão, eles estão no escritório de segurança dos serviços sudaneses, próximo ao aeroporto.
Antonella informou que já havia sido pedido um exame de DNA das crianças, o que ainda não aconteceu. Se o teste for realizado, também os filhos de Meriam e Daniel poderão ter a cidadania estadunidense.
Merian foi presa em fevereiro, grávida de Maya, que nasceu na prisão há um mês. Seu filho de dois anos também ficou no cárcere com ela.
A jovem de 27 anos foi acusada de apostasia e condenada à morte, em maio deste ano, por sua conversão ao Cristianismo e por ter casado com um cristão. Por sua vez, Merian afirma que não rejeitou o Islã, pois foi criada como cristã por sua mãe, após seu pai muçulmano ter abandonado a família quando ela era criança.
O caso tomou uma repercussão mundial e vários apelos foram feitos pela libertação da jovem.

Fonte : Canção Nova Notícias
 

Papa destaca vocações de João Batista, modelo para o cristão




Santo Padre disse que o cristão deve saber preparar o caminho para o Senhor, discernir quem é Ele e diminuir-se para que Ele cresça


Um cristão não anuncia a si mesmo, mas o Senhor. Este foi o ensinamento do Papa Francisco, na Missa celebrada nesta terça-feira, 24, na Casa Santa Marta, dia em que a Igreja celebra a solenidade do nascimento de São João Batista. O Santo Padre se concentrou nas três vocações do maior entre os profetas: preparar, discernir e diminuir.
Preparar a vinda do Senhor, discernir quem é Ele e diminuir-se para que Ele cresça. Essas foram as três atitudes que Francisco indicou em relação a João Batista, modelo sempre atual para os cristãos. O Papa ressaltou que João preparava o caminho para Jesus sem tomar nada para si; suas palavras chegavam ao coração. “Talvez, tenha tido a tentação de acreditar que fosse importante, mas não caiu nessa tentação”.
A segunda vocação do profeta foi distinguir, entre tantas pessoas boas, quem era o Senhor. O Espírito Santo lhe fez essa revelação e ele teve a coragem de anunciar: ‘Eis o Cordeiro de Deus, aquele que tira o pecado do mundo’.
A terceira vocação de João Batista de que o Papa falou foi a de diminuir. A vida do profeta reduziu-se, diminui-se para que o Senhor crescesse. Essa foi, segundo o Pontífice, a etapa mais difícil de João, porque o Senhor tinha um estilo que ele não tinha imaginado. Tanto que, no cárcere, ele sofreu a escuridão da cela e do coração.
“A humilhação de João é dupla: a humilhação da sua morte, como preço de um capricho, mas também humilhação da escuridão da alma. João, que soube esperar Jesus, que soube discerni-Lo, agora O vê distante. Aquela promessa se afastou. E termina sozinho, na escuridão, na humilhação. Termina sozinho, porque se aniquilou para que o Senhor crescesse.”
Francisco acrescentou que, mesmo vendo sua humilhação, João Batista estava com o coração em paz. Ele concluiu dizendo que essas são também as três vocações de um homem, de um cristão.
“Um cristão não anuncia a si mesmo, anuncia outro, prepara o caminho para outro: o Senhor. Um cristão deve saber discernir, deve conhecer como discernir a verdade daquilo que parece verdade e não é: homem de discernimento. E um cristão deve ser homem que saiba se diminuir para que o Senhor cresça no coração e na alma dos outros”.

Fonte : Canção Nova Notícias 


São João 2014 na Kairós




Na noite de 23 de Junho a Comunidade Kairós realizou seu arraial comemorando as festividade de São João , tudo aconteceu na nossa casa mãe com uma programação recheada de alegria e também muito forró.

Tudo começou por volta das 21:00hrs da noite com apresentação do casamento matuto pelo MAK ( ministério de Artes Kairós ) e logo em seguida muito xote e forró com o Diácono Carlos Genê e Banda (Caruaru/PE).



FOTOS :










24 de junho de 2014

Retiro Sustenta o Fogo Brasil


O Retiro " Sustenta o Fogo Brasil " teve inicio na Sexta-Feira (20) ás 20:00hrs da noite com a súbida do monte , onde lá os fieis poderão ter um forte encontro com o Espírito Santo onde teve muita adoração e clamor. No sábado começamos ás 10:00 da manhã com pregação do nosso fundador Jorge Kairós no qual falou do Fogo do Espírito Santo , como podemos sustentar esse fogo abrasador , a tarde tivemos outro momento de pregação também com a irmã Silvana do Grupo de Oração Novo Pentecostes de Santarém/PA , a qual contou seu testemunho de vida e pregou para todos fieis presentes , e logo a noite todos presentes na Comunidade Kairós foram para Sta° Cruz do Capibaribe/PE para a noite Católica do São João 2014 na qual a Banda Kairós fez parte também do evento.

No domingo , começamos com o oficio da Imaculada Conceição e um momento especial de Nossa Senhora com Gabriela Lima ( Membro de Vida ) , logo após pregação com Paulo Luís ( Co-Fundador da Comunidade Kairós). As 11:00hrs tivemos a Santa Missa com o Padre Sandro e a tarde pregação do nosso fundador Jorge Kairós sobre ( No Espírito e no Fogo ) junto com Adoração ao Santíssimo Sacramento com a Participação do Cantor Neto Monteiro de Caruaru/PE.


FOTOS :





















Mais fotos você encontrará no nosso portal oficial  -> Clique Aqui ( Fotos )

21 de junho de 2014

Bispo de Caruaru destaca vivência fraterna nas festas juninas







Para Dom Bernardino as festas juninas são ocasião para construir gestos de paz e união e fazer com que seja superada a dificuldade de acreditar uns nos outros


 O Bispo de Caruaru (PE), Dom Bernardino Marchió, conversa com o jornalista padre Roger Araújo e destaca que o encontro entre as pessoas nesta época é uma maneira para viver o Evangelho, que quer comunhão, paz e fraternidade.
“Somos irmãos que queremos aproveitar desse tempo de festa para estreitar os laços entre as famílias, para reunir as pessoas, lembrar também que no fundo essas celebrações tem uma conotação religiosa. São os santos que estão no coração do povo e santos que nos dizem que viver o Evangelho é uma grande alegria.”
Quatro santos populares são celebrados em junho: Santo Antônio, no dia 13, São João, no dia 24, e São Pedro e São Paulo, dia 29.
Santo Antônio é padroeiro de três paróquias na Diocese, além de ser celebrado no Convento dos Capuchinhos de Caruaru. Algumas capelas são dedicadas à São Pedro e duas paróquias estão sendo dedicadas a São Paulo. Dos quatro santos, São João é o menos celebrado do ponto de vista religioso e litúrgico.
Para destacar o aspecto religioso da festa do santo, a Igreja em Caruaru organiza, entre outras atividades, uma Missa no dia de São João, 24, às 3h da manhã. Embora seja de madrugada, Dom Bernardino comemora o sucesso da celebração que acontece no mesmo local em que as quadrilhas se apresentam.
“Toda noite tem festas que vão até meia noite, duas horas. Tem um parque de eventos onde os turistas vêm. Durante a noite nem daria para fazer celebrações religiosas, então, começamos a fazer uma celebração com todas as paróquias da cidade e assim conseguimos atrair muita gente para essa celebração. A primeira experiência foi bonita.”
Dom Bernardino acredita que a beleza dessa festa está no encontro entre as pessoas. Ele destaca por exemplo a convivência em bairros, povoados e sítios, a partilha entre os “compadres” e defende que este aspecto deve ser conservado.
“Comunicar boas notícias, estar junto. É claro que hoje isso se perde um pouquinho, porque hoje entraram muitas bandas que nem sempre é aquele forró pé de serra tradicional.”
Outra festa importante celebrada em junho é a de Corpus Christi. Embora não seja ligada as festas juninas, a Diocese de Caruaru aproveita a ocasião para celebrá-la no pátio de eventos. Até 40 mil fiéis se reúnem.
“Há mais de 10 anos conseguimos que na noite de Corpus Christi não venha nenhuma outra banda, somos nós que fazemos a festa. Quando eu pergunto quem é a atração daquela noite? É Jesus Cristo, a Eucaristia!”
Para o Bispo de Caruaru, até mesmo as comidas típicas são ocasião que proporcionam a vivência fraterna e a alegria. Ele conta, de maneira descontraída, que mesmo “sem comer muito” vai às barracas de comidas típicas e atende à convites das famílias, porque acredita que isso é importante para manter laços de fraternidade com os outros.
“As festas juninas nos ajudam a confraternizar, não é tudo perfeito, não é tudo Evangelho. Mas no meio dessas coisas humanas, dessas dificuldades, nós todos queremos sempre mais construir gestos de paz, fazer com que as pessoas se unam, fazer com que as pessoas vençam a dificuldade de acreditar no irmão.”

Fonte : Canção Nova Notícias




Papa diz “não” a qualquer tipo de droga e “sim” à vida






Santo Padre falou aos participantes da reunião anual antidroga, reiterando seu “sim” à vida


O Papa Francisco recebeu em audiência nesta sexta-feira, 20, os participantes da 31ª edição da Conferência Internacional Antidroga.
Trata-se de uma reunião anual dos responsáveis das agências antidroga mundiais, que este ano se realizou em Roma entre os dias 17 e 19 de junho. Na ocasião, Francisco reafirmou o seu “não” a qualquer tipo de droga.
No seu discurso aos presentes, o Pontífice expressou apreço pelo trabalho que a Conferência realiza enfrentando este problema grave e complexo da atualidade. Ele fez votos de que se possa atingir os objetivos propostos, como coordenar as políticas antidroga e desenvolver uma estratégia operativa que contraste o narcotráfico.
“O flagelo das drogas continua a fazer estragos em formas e dimensões impressionantes, alimentado por um mercado vergonhoso que atravessa as fronteiras nacionais e continentais. Desta forma, continua a crescer o perigo para os jovens e adolescentes. Diante deste fenômeno, sinto a necessidade de expressar a minha tristeza e a minha preocupação”.
Francisco ressaltou que a droga não se vence com a droga. Segundo ele, trata-se de um mal com o qual não pode haver relaxamento ou compromissos, de forma que a tentativa de reduzir o dano permitindo o uso de psicofármacos àquelas pessoas que continuam a usar droga não resolve de fato o problema.
“A legalização das chamadas ‘drogas leves’, mesmo de modo parcial, além de ser, pelo menos, questionável em termos de legislação, não produz os efeitos que foram pré-fixados. As drogas substitutivas, então, não são uma terapia suficiente, mas uma forma velada de se render ao fenômeno. Quero reafirmar o que eu já disse em outra ocasião: ‘não a qualquer tipo de droga’”.
Mas para dizer esse “não” às drogas é preciso dizer “sim” à vida, observou o Santo Padre. Ele acredita que se houver um “sim” aos outros, ao amor, à educação, ao trabalho e a mais fontes de trabalho não haverá lugar para as drogas, para o álcool e para outras dependências.
O Papa Francisco recordou que a Igreja, fiel ao mandato de Jesus de ir a todos os lugares onde há um ser humano que sofre, não abandonou aqueles que caíram na espiral da droga, mas com o seu amor criativo foi ao encontro deles. “O exemplo dos muitos jovens que, desejosos de escapar da dependência da droga, se empenham em reconstruir as suas vidas, é um incentivo para olhar para frente com confiança”, finalizou o Papa Francisco.
Esse Congresso Internacional realizado em Roma teve como tema “O desmantelamento das estruturas financeiras do narcotráfico”. 500 delegados de 129 países se reuniram para discutir sobre o assunto, divididos em sete grupos de trabalho compostos por área geográfica (América do Sul, Caribe, América do Norte e Central, Ásia do Sul e Central, Europa, África, Sudeste asiático), abordando as problemáticas da lavagem de dinheiro proveniente do tráfico de drogas.

Fonte : Canção Nova Notícias


Papa visita presídio de segurança máxima no sul da Itália







Para “exprimir a proximidade da Igreja a cada homem e mulher que se encontra preso”, disse o Papa sobre a visita
Da redação, com Rádio Vaticano
O Papa Francisco iniciou na manhã deste sábado, 21, sua visita à cidade de Cassano, região no sul da Itália, marcada pelo fenômeno da Mafia. Partindo do Vaticano, de helicóptero, às 7h30 locais, chegou à localidade de Castrovillari uma hora e meia depois. Após um momento de acolhimento oficial no estádio da cidade, o Santo Padre visitou a prisão de segurança máxima local, primeiro programa da visita.
Na cordial saudação dirigida aos detidos, o Papa declarou ter querido realizar esta visita como primeiro ato da viagem de hoje para “exprimir a proximidade da Igreja a cada homem e mulher que se encontra preso, como disse Jesus “Estava na cadeia e fostes visitar-me”.
Dirigindo-se às autoridades, o Papa sublinhou a necessidade de, para além do respeito devido a cada um dos detidos, tudo fazer para que a pena não seja apenas instrumento de punição mas se cuide da sua sucessiva reinserção social. Neste caminho, entra também o encontro com Deus, que nos ama e perdoa os nossos erros. O Senhor é um mestre de reinserção: toma-nos pela mão e reconduz-nos à comunidade social.
Já em Cassano all’Jonio, após nova breve deslocação de helicóptero, o Papa visitou os doentes do Centro Residencial ‘São José Moscati’. Ao meio-dia, encontrar-se-á com os padres desta pequena diocese, na Catedral de Cassano.
Francisco almoçará no Seminário “João Paulo I” com os pobres assistidos pela Cáritas Diocesana e com os jovens da comunidade residencial terapêutica Saman Mauro Rostagno. Às 14h30, Papa vai visitar os idosos da ‘Casa Serena’ de Cassano all’Jonio.
A Missa que encerra a viagem será celebrada na planície de Síbari, perto do mar, a partir das 16h. Regresso ao Vaticano duas horas depois.

Fonte : Canção Nova Notícias