• Programação oficial do Carnaval na Comunidade Kairós 2016 - Fogo só presta alto!

    Confira a programação

  • Celebração de posse do novo Padre da paroquia de Pão de Açucar-PE aconteceu na noite de terça-feira (02)

    Confira a Matéria

  • Viaje com a Kairós em 2016, vamos conhecer as maravilhas de São Paulo e Rio de Janeiro

    Confira a Matéria!

4 de fevereiro de 2016

Programação oficial do Carnaval na Comunidade Kairós 2016 - Fogo só presta alto!





Programação
Retiro de Carnaval
Fogo só presta Alto


Sábado (06/02)

15:00 h – Terço da Misericórdia – Gabriela Lima e Silvana Silva
16:00 h – Intervalo
16:30 h – Dinércules ( Campina Grande-PB)
Tema: A Palavra de Fogo é a Palavra que muda a história de vida. (At 9,1-9)
17:45 h – Jantar
19:30 h – Momento de louvor
20:00 h – Adoração com Jorge Kairós
21:30 h – Descanso


Domingo (07/02)

08:30 h – Ofício da Imaculada Conceição – Ailzy Kairós
08:50 h – Momento de louvor
09:00 h –Thayná Azevedo
Tema: Nosso Deus é um Fogo Devorador! (Hb 12,29)
10:30 h – Intervalo
11:00 h – Celebração da Palavra
12:30 h – Almoço
13:45 h – Momento de louvor
14:00 h – Jorge Kairós
Tema: Caminhando sobre o mover do Espírito Santo!  
15:00 h – Intervalo
15:20 h – Momento de Louvor
15:30 h – Josivan (Missionário da RCC de Feira Nova-PE)
Tema: Vivendo um novo Pentecostes! ( At 2)
17:00 h – Intervalo
17:30 h – Terço Mariano
18:00 h – Jantar
20:00 h – Show com a Banda Kairós
22:00 h – Descanso


Segunda (08/02)

08:30 h – Ofício da Imaculada Conceição – Angela Kairós
08:50 h – Momento de louvor
09:00 h – Jorge Kairós
Tema: Deus quer a todos, o Fogo é para todos. (At 10,44-48)
10:30 h – Intervalo
11:00 h – Celebração
12:30 h – Almoço
13:45 h – Momento de louvor
14:00 h – Radson (Fundador da Com. Restauração)
Tema:O Vento sopra e leva toda cinza! (Jo 3,5-8)
15:00 h – Intervalo
15:30 h – Celebração da Santa Missa com Pe. Josias      
17:00 h – Intervalo
17:30 h – Terço Mariano
18:00 h – Jantar
20:00 h – Show com Ministério Restauração
22:00 h – Descanso


Terça (09/02)

08:30 h – Ofício da Imaculada Conceição – Robervânia Kairós
08:50 h – Momento de louvor
09:00 h – Sérgio (Fundador da Com. Resgate)
Tema: Não vos embriagueis com vinho, que é fonte de devassidão, mas enchei-vos do Espírito Santo (Ef 5,18)
10:30 h – Intervalo
11:00 h – Celebração da Santa Missa com Pe. Fernando Lima
12:30 h – Almoço
14:00 h – Momento de louvor
14:30 h –Pregação e Adoração com Jorge Kairós : Fogo só presta alto!
16:00 h – Encerramento


                                                                                             

3 de fevereiro de 2016

Carnaval 2016 é na Kairós - venha você também



De 06 a 09 de fevereiro, a Comunidade Católica Kairós, localizada em Vila do Socorro (PE), promove o “Acampamento de Carnaval” com o tema “Fogo só presta alto”. 
 
Todos os anos a sede da Comunidade Kairós proporciona aos fiéis a opção de vivenciar um retiro de oração durante o feriado de carnaval. Durante os dias do encontro os peregrinos poderão participar das pregações, dos momentos de adoração ao Santíssimo Sacramento, da celebração diária da Santa Missa.
 
Além de toda a espiritualidade, foco principal do acampamento, os peregrinos também são convidados a participar dos shows com cantores e bandas católicas num ambiente de muito louvor e alegria plena. 
 
Participar de um retiro de carnaval é uma excelente opção para quem deseja viver uma experiência nova de encontro com Deus e com os irmãos e, ao mesmo tempo, uma ocasião propícia para se preparar para viver bem o ano e a Quaresma num ambiente de acolhida, paz e fé. 
 
Organize sua caravana, convide seus amigos e parentes e venha participar do “Retiro de Carnaval” na sede da Comunidade Kairós. 

 

Celebração de posse do novo Padre da paroquia de Pão de Açucar-PE aconteceu na noite de terça-feira (02)





A noite de Terça-Feira (02) foi de muita alegria para os paroquianos de São José em Pão de Açucar. Tomou posse seu novo pároco Padre Luis Eduardo da Silva Feitosa.

A celebração Eucarística teve início às 19h30, na igreja matriz da Paróquia e contou com a presença de milhares de fieis, mais populoso da cidade, todos queriam conhecer Padre Luis Eduardo.
Todas as Pastorais, Grupos e Movimentos paroquias se fizeram presentes, aos quais, padre Luis Eduardo agradeceu a receptividade e solicitou a participação dos paroquianos neste novo tempo de caminhada, pois temos muitos trabalhos a desenvolver e muitos para darmos continuidade. É uma grande Paróquia e espero contar com todos nos trabalhos pastorais. Falou Padre Luis Eduardo.





 

1 de dezembro de 2015

No voo: Papa fala de vatileaks, fundamentalismo e COP21



Francisco comentou os temas ao responder perguntas de jornalistas no voo de retorno a Roma após viagem à África

 

Vatileaks

A respeito do processo em andamento no Vaticano em virtude do recente vazamento de documentos reservados do Vaticano, caso conhecido como “vatileaks 2”, o Papa admitiu que se cometeu um erro ao confiar no padre Vallejo Balda e em Francesca Chaouqui – dois dos acusados – que no início do mês foram detidos por furto e divulgação de notícias e documentos confidenciais.
O Papa contou, no entanto, que todo este caso não foi uma surpresa para ele. “Não me tirou o sono, porque foi divulgado o trabalho que se começou a fazer com a Comissão de Cardeais – o C9 – justamente para encontrar casos de corrupção e coisas que não vão bem”.
Francisco recordou que as denúncias sobre a “sujeira” na Igreja remontam ao fim do pontificado de João Paulo II, quando o então Cardeal Joseph Ratzinger tomou “a liberdade de dizer as coisas”. “Desde esse tempo, anda no ar a ideia de que há corrupção no Vaticano”, acrescentou.
Em relação ao julgamento, o Papa disse que gostaria que acabasse antes do início do Jubileu da Misericórdia (8 de dezembro). Ele recusou a ideia de que a acusação aos dois jornalistas envolvidos seja um ataque da Santa Sé à liberdade de imprensa.
“O fundamental é ser realmente profissional; que as notícias não sejam manipuladas. Isto é importante, porque denunciar injustiças e corrupção é um belo trabalho”, disse, elencando três pecados mais comuns que a imprensa não deve cometer: a desinformação, a calúnia e a difamação.

Fundamentalismo

Questionado sobre o fundamentalismo religioso e a atuação dos líderes políticos, o Papa criticou a rede de interesses que se esconde atrás dos conflitos bélicos, em sua opinião provocados pelo dinheiro e o poder.
Francisco destacou ainda que não se pode rechaçar uma religião porque há grupos fundamentalistas. “Também os cristãos devem pedir perdão por fatos do passado”. Neste sentido, recordou Catarina de Médici e a matança promovida em Paris no século XVI, conhecida como “o massacre de São Bartolomeu” e completou: “O saque de Roma não foi feito pelos muçulmanos!”.
“O fundamentalismo é uma doença que existe em todas as religiões. Nós católicos temos alguns: não alguns, tantos né, que acreditam estar com a verdade absoluta e vão adiante contaminando os outros com a calúnia, a difamação e fazem mal. E isso eu digo porque é a minha Igreja. E se deve combater. O fundamentalismo religioso não é religioso. Por que? Porque falta Deus. É idolátrico, como é idolátrico o dinheiro”.

COP21

O aquecimento climático põe o mundo à beira do suicídio, disse o Papa ao responder a uma pergunta sobre a Conferência do Clima, que começou ontem em Paris. O jornalista perguntou se o Papa acredita que o evento é o início da solução.
“Não estou seguro, mas o que posso dizer é que agora ou nunca se deve atuar diante das mudanças climáticas”, declarou. “Desde a conferência de Quioto, em 1991, pouco foi cumprido e a cada ano, os problemas são mais graves, enquanto tudo parece indicar, empregando uma palavra forte, que estamos à beira do suicídio. A quase totalidade daqueles que estão em Paris querem fazer algo. Tenho confiança de que o farão, têm boa vontade e rezo por eles”, completou.

Uso de preservativo no combate à Aids

Outra pergunta feita no voo foi a respeito da oposição da Igreja católica em relação ao uso de preservativo no combate à Aids. Nesta terça-feira, 1º, celebra-se o Dia Mundial de Luta contra a doença.
Francisco disse que a pergunta parece limitada e parcial, pois o problema é bem maior do que aquilo que o jornalista expôs na pergunta: se a Igreja não deveria permitir o uso de preservativo para prevenir o contágio pela doença.
“O problema é maior. Essa pergunta me faz pensar naquilo que Jesus fez: ‘Diga-me, Mestre, é lícito curar de sábado?’. É obrigatório curar! Essa pergunta, se é lícito curar assim…mas a má nutrição, a exploração das pessoas, o trabalho escravo, a falta de água potável: esses são os problemas. Não falamos se se pode usar esse ou aquele curativo para uma pequena ferida. A grande ferida é a injustiça social, a injustiça do ambiente, da exploração e da má nutrição”.
 FONTE: CANÇÃO NOVA NOTÍCIAS

 

11 de novembro de 2015

Na catequese, Papa fala do convívio familiar


Papa destacou que hoje há muitos obstáculos para o convívio  familiar, mas é preciso encontrar um modo de recuperá-lo

 

Na catequese de hoje, o Papa Francisco se dedicou ao tema do convívio familiar, ou seja, ao hábito que se aprende, desde cedo, de partilhar os bens da vida. Segundo Francisco, essa é uma virtude preciosa, que tem como símbolo a reunião da família em volta da mesa para uma refeição.

“A partilha do alimento e, além disso, de afetos, histórias, acontecimentos, é uma experiência fundamental”, disse o Papa, acrescentando que o convívio é um termômetro seguro para mensurar a saúde das relações. Se a família não conversa à mesa, por exemplo, porque seus membros estão ligados à televisão ou ao celular, ela é “pouco família”, afirmou.

Francisco explicou que o cristianismo tem uma vocação especial à sociabilidade. Participando da Eucaristia, por exemplo, a família é purificada da tentação de se fechar em si mesma e alarga os confins da própria fraternidade segundo o coração de Cristo.
Essa sociabilidade gerada na família e ampliada pela Eucaristia, disse o Papa, se torna uma oportunidade crucial tendo em vista os fechamentos e muros dos dias de hoje. Isso porque a Eucaristia e as famílias por ela alimentada podem vencer os fechamentos e construir pontes de acolhimento e de caridade. “Não há pequenos, órfãos, frágeis, feridos e desiludidos, desesperados e abandonados que o convívio eucarístico das famílias não possa alimentar”.
O Santo Padre reconheceu que hoje em dia há muitos obstáculos para o convívio familiar, mas é preciso encontrar um modo de recuperá-lo. “À mesa se fala, à mesa se escuta. Nada de silêncio, aquele silêncio que não é silêncio dos monges, é o silêncio do egoísmo: cada um tem ou a sua televisão ou o seu computador…e não se fala. Não, nada de silêncio”.
Como exemplo, o Papa recomendou que se observe o banquete eucarístico: não há divisão que possa resistir a esse sacrifício de comunhão. “Rezemos para que esse convívio familiar possa crescer e amadurecer no tempo de graça do próximo Jubileu da Misericórdia”.
FONTE: Canção Nova Notícias

  

10 de novembro de 2015

A caridade não se faz com o supérfluo, diz Papa


Na Oração do Angelus, o Papa Francisco  disse que não se deve dar apenas o  supérfluo aos pobres, mas também o que custa verdadeiramente doar

 

 

“Há doenças cardíacas que fazem aproximar o bolso, a carteira ao coração”. O Papa Francisco no Angelus deste domingo, 8, comentou a mensagem do óbolo da viúva, que convida não só a dar o supérfluo aos pobres, mas também o que nos custa verdadeiramente dar, narrada pelo Evangelho. Neste contexto, o Pontífice contou um episódio sobre uma família de Buenos Aires, cidade, que definiu a sua diocese anterior.
“Uma mãe e seus três filhos, enquanto que o pai estava no trabalho, se colocaram à mesa diante de bifes à milanesa. Batem à porta e a mãe pergunta quem é? A criança que tinha ido abrir a porta responde que havia um mendigo que pede algo para comer. E a mãe, que era uma boa cristã, pega uma faca e diz às crianças: ‘O que vamos fazer? Vamos dar metade de cada bife’. ‘Não mãe, não assim. Pegue da geladeira’, respondem as crianças.”
O Papa continua afirmando que a mãe disse: “‘Não, vamos fazer três sanduíches’. E as crianças aprenderam. A verdadeira caridade se faz assim. Estou certo de que naquela tarde elas tiveram um pouco de fome. Devemos nos privar de algo como essas crianças se privaram da metade do bife”.
O Pontífice acrescenta ainda que Jesus diz também que o critério de julgamento não é a quantidade, mas a plenitude. “Há uma diferença entre quantidade e plenitude. Você pode ter tanto dinheiro, mas ser vazio, não há plenitude no seu coração. Não é questão de carteira, mas de coração. Amar a Deus ‘com todo o coração’ significa confiar n’Ele, na sua providência, e servi-Lo nos nossos irmãos mais pobres sem esperar nada em troca”.
“Diante das necessidades dos outros, somos chamados a nos privar de algo essencial, não apenas do supérfluo; somos chamados a dar o tempo necessário, não só aquilo que avança; somos chamados a dar imediatamente e sem reserva alguns de nossos talentos, e não depois de tê-los usados para nossas finalidades pessoais ou de grupo”.
O Papa invocou as pessoas a pedirem ao Senhor “de nos admitir à escola desta pobre viúva que Jesus, entre a perplexidade dos discípulos, faz subir à cátedra e apresenta como mestra do Evangelho vivo. Por intercessão de Maria, a mulher pobre que deu a sua vida a Deus por nós, peçamos o dom de um coração pobre, mas rico em uma generosidade alegre e gratuita”.

Dia de Ação de Graças

Após a oração do Angelus o Papa Francisco recordou que neste domingo, na Itália, se celebra o Dia de Ação de Graças, que este ano tem como tema “O solo, o bem comum”.
“Associo-me aos Bispos desejando que todos ajam como administradores responsáveis de um precioso bem coletivo, a terra, cujos frutos têm um destino universal. Eu estou próximo com gratidão ao mundo agrícola, e encorajo a cultivar a terra de modo a preservar a fertilidade para que produza alimento para todos, hoje e para as gerações futuras. Neste contexto, se realiza em Roma o Dia diocesano para a salvaguarda da criação, que este ano é enriquecido pela “Marcha pela terra.”
O Papa recordou ainda que nesta segunda-feira, 9, terá início em Florença, o 5º Congresso Eclesial Nacional, com a presença de bispos e delegados de todas as dioceses italianas. Trata-se de um evento importante de comunhão e de reflexão, ao qual “terei a alegria de participar também, na terça-feira, 10, depois de uma breve passagem por Prato”, conclui o Pontífice.
FONTE:Canção Nova Notícias

Episcopado é serviço, não honra, reitera Papa


Ao ordenar novo bispo auxiliar para Roma, Papa lembrou que o episcopado é um serviço; ao bispo cabe mais servir do que dominar

 

O Papa Francisco ordenou um bispo auxiliar para Roma nesta segunda-feira, 9. Dom Angelo De Donatis, até então do clero romano, foi nomeado para essa missão em 14 de setembro passado. Na homilia, um dos pontos destacados pelo Papa foi que o episcopado é um serviço e não uma honra.
A ordenação aconteceu na festa da Dedicação da Basílica Lateranense, na Basílica Papal de São João Latrão. Francisco lembrou que, para perpetuar esse ministério apostólico de geração em geração, os doze apóstolos somaram a eles colaboradores, transmitindo-lhes o dom do Espírito Santo.
“É precisamente Cristo que, no ministério do bispo, continua pregando o Evangelho de salvação e santificando os crentes mediante os sacramentos da fé; é Cristo que na paternidade do bispo enriquece com novos membros o seu corpo que é a Igreja; é Cristo que na sabedoria e prudência do bispo guia o povo de Deus na peregrinação terrena até a felicidade eterna”, disse o Papa.
Francisco convidou os fiéis a acolherem com gratidão esse novo bispo ordenado hoje. E a Dom Donatis ele frisou: “Episcopado é nome de um serviço, não de honra, porque ao bispo compete mais o servir do que o dominar”.
O Papa recomendou ao novo bispo auxiliar de Roma que faça homilias simples, compreensíveis a todos, e que possam ser canais da graça de Deus. Outro ponto destacado por Francisco foi a necessidade de misericórdia.
“Eu te peço, como irmão, que seja misericordioso. A Igreja e o mundo precisam de tanta misericórdia. Que você ensine aos presbíteros, aos seminaristas, o caminho da misericórdia. Com palavras, sim, mas sobretudo com suas atitudes”.
Dom Angelo De Donatis nasceu no dia 4 de janeiro de 1954 e foi ordenado sacerdote em 12 de abril de 1980. Mesmo como padre, Dom Angelo já fazia parte da diocese de Roma, atuando no Conselho Presbiteral e no Colégio dos Consultores. Na Quaresma de 2014, ele foi o encarregado das meditações para os exercícios espirituais da Cúria Romana.
FONTE: Canção Nova Notícias

 

 

Papa a trabalhadores de Prato: “combater o câncer da corrupção”


No encontro com o mundo do trabalho de Prato, Francisco defendeu trabalho digno para todos e o combate ao câncer da corrupção

 

Em sua visita a Prato nesta terça-feira,10, o Papa Francisco encontrou-se com o mundo do trabalho na Praça da Catedral de Prato. No discurso, voltou a enfatizar a necessidade da cultura do encontro e de combater a corrupção.
Francisco destacou o convite que Deus faz ainda hoje, para que as pessoas não fiquem fechadas na indiferença, mas se abram e possam compartilhar a alegria de encontrar Deus.
O Santo Padre encorajou os presentes a arriscarem, a se aproximarem dos homens e mulheres do tempo atual e se envolverem sem medo, pois não existe fé sem riscos. Nesse sentido, ele agradeceu aos cidadãos de Prato pelos esforços desta comunidade na integração, contrastando a cultura da indiferença e do descarte. Elogiou ainda as iniciativas de inclusão dos mais frágeis.
Inspirado nas palavras de São Paulo, que convida os fiéis a vestirem uma couraça ‘particular’, a de Deus, que combate os espíritos do mal e cinge com a verdade. “Não se pode fundar nada de bom sobre as tramas da mentira e da falta de transparência. Procurar e optar sempre pela verdade não é fácil; é uma decisão vital que marca profundamente a existência de cada um e da sociedade, para que seja mais justa e honesta. A sacralidade de todo ser humano requer, para cada um, respeito, acolhida e um trabalho digno”.

Tragédia do trabalho

Em uma parte improvisada do discurso, Francisco recordou os sete operários chineses mortos há dois anos em um incêndio na zona industrial de Prato. Moravam dentro do galpão no qual trabalhavam, em um dormitório feito de reboco: uma tragédia da exploração, disse, que representa condições de vida desumanas.
“A vida de toda comunidade exige que se combatam, até o fim, o ‘câncer’ da corrupção e o veneno da ilegalidade. Dentro de nós e junto aos outros, não nos cansemos de lutar pela verdade!”.

Encorajamento aos jovens

No faltou no discurso do Papa uma referência aos jovens. Francisco convidou os jovens a não cederem ao pessimismo e à acomodação. “Maria é quem transformou o sábado da desilusão no alvorecer da ressurreição. Quem se sente cansado e oprimido pelas circunstâncias da vida, confie em nossa Mãe que está perto de nós e nos consola”.
Um ‘ciao Papa’ escrito em chinês saudou o Papa enquanto o pároco da comunidade, padre Roberto, doou ao Pontífice dois quadros em estilo chinês retratando Santa Maria e o Espírito Santo. Ao final do encontro, aplausos e os gritos “Francesco” ecoaram em toda a Praça.
FONTE: Canção Nova Notícias